Juro que venho tentando fugir um pouco do tema “maternidade”, mas no alto das minhas trinta e cinco semanas de gestação (oitavo mês) e depois de ter passado um mês cuidando do meu filho mais velho, full time, está sendo quase impossível escapar do assunto. Então, hoje decidi me render à área da minha vida que mais me ocupou nos últimos tempos e compartilhar com vocês o que aprendi até aqui e o que venho aprendendo com a maternidade.

Acho que a primeira grande lição que a maternidade me trouxe foi a de não me preocupar muito com planos. Sim, como coach preciso trabalhar com metas e objetivos bem definidos, mas também aprendi que obstáculos e desvios podem nos surpreender a cada passada e que tudo bem. Está tudo certo. Quando engravidei do meu primeiro filho, por exemplo, com apenas cinco meses de namoro, logo após me formar em Direito e cursando uma pós graduação em outra cidade, fiquei desesperada. E meus planos? E meus sonhos? Durante muito tempo, achei que ali era o fim da linha. Primeiro, porque precisei trabalhar efetivamente com algo que eu não gostava porque achava que não tinha mais a possibilidade de apenas estudar e segundo, porque depois que meu filho nasceu, passei meses, meio anestesiada e vivendo diariamente para aquele pequeno ser, que sugava todas as minhas energias e ambições. Hoje, compreendo que esse começo é apenas uma fase, que ela é super importante para a relação entre a mãe e o bebê e que o mundo não vai acabar porque você não está, de fato, produzindo. Mas na época, sofri bastante e achei que nunca mais conseguiria realizar meus sonhos.

desenho-mulher_gravida-1024x659

Para continuar lendo, clique AQUI.

Anúncios